sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Grávida e Vegetariana


Que algumas pessoas ainda tem preconceito contra os vegetarianos, todos sabem. Mas, ao saber que a moça vegetariana está grávida, aí sim, prepare os ouvidos para ouvir muita coisa absurda. Criança vegetariana então, nem se fala!!! Mas, vamos falar primeiro das grávidas. E da minha experiência.

Desde que me tornei vegetariana, já estava claro em minha mente que eu não mais comeria carne, nem mesmo na gravidez e amamentação.. E os filhos, consequentemente, seriam vegetarianos.

Assim que descobri que estava grávida, comecei a pensar: "se a médica falar besteira da dieta, nem perco meu tempo, procuro outros médicos, tem tantos por aí mesmo". Mas ela até me disse que é a melhor dieta para as gestantes, porque nutre muito bem o feto, evita o famoso intestino preso e, por ser uma alimentação mais leve e saudável, nós, gestantes, temos menos problemas com os enjoos (não que eles não existam, claro, mas eu não os tive mesmo), pressão alta e, se não abusar dos doces e refrigerantes (como algumas pessoas, sejam vegetarianas ou não, abusam), diabetes gestacional.

Mas isso não significa que eu não tive que tomar as vitaminas recomendadas, além da B12: ácido fólico e ferro. Fora isso, ter uma alimentação bem balanceada mesmo. Meu maior aliado neste quesito foi (e continua sendo) a feira que vou semanalmente, comprar minhas vitaminas em forma de frutas, verduras e legumes fresquinhos.

Outra vantagem que os vegetarianos tem é o fato de se preocuparem em ler mais sobre nutrição, aprender sobre as melhores combinações para potencializar a absorção de determinados nutrientes, quais combinações evitar, além de experimentar muito na cozinha, usar temperos naturais, abusar de sucos e frutas. Com isso, a alimentação fica muito mais balanceada e nutritiva que a alimentação onívora que, quando saudável, é composta de arroz, feijão, carne e salada de alface.

Algumas pessoas ficavam preocupadas com o fato de eu não comer carne de nenhum tipo, estar grávida e nem cogitar comer pelo menos um peixinho... Mas minha melhor resposta era, e continua sendo, a minha saúde. Claro que sempre tinha alguém que começava a falar muitas asneiras, a pior foi: se a grávida não comer carne nenhuma, o bebê nasce sem cérebro. O que eu respondi? Que isso era besteira e coisa de programa sensacionalista... depois, começaram a me deixar em paz.

Os cuidados que eu tinha com minha alimentação perduram até hoje: comer muitas verduras cruas, verduras cozidas no vapor, vegetais verdes-escuros (ricos em cálcio e ferro), leguminosas (ricas em cálcio e ferro também), cereais, grãos, sementes, oleaginosas, legumes, raízes, tubérculos, frutas (naturais ou em forma de sucos); sempre combinar alimentos ricos em ferro com aqueles ricos em vitamina C, para melhorar a absorção do ferro e evitar os laticínios depois de uma refeição rica em ferro, porque isso inibe a absorção dos dois nutrientes; fazer 5 a 6 refeições diárias, sendo as mais importantes o café da manhã e o almoço (o correto é se alimentar a cada 3 horas, com pequenos lanches entre as refeições, hora certa, sem beliscar o dia todo); beber muito líquido (de 2 a 3 litros por dia). Claro que algumas vezes escapo e como pizza, lanche... mas não é sempre e nem todos os dias. Uma coisa posso garantir: nossa alimentação mudou pra melhor depois que viramos vegetarianos. E eu fui uma grávida muito saudável, com todos os exames perfeitinhos (até a médica comentou que uma moça que ia lá estava com uma anemia séria, e comia carne todos os dias).

A barriga foi crescendo, a Letícia também foi crescendo, segui com meus exercícios (hidroginástica) e me alimentando bem. A única coisa que me arrependo foi de não ter feito acompanhamento com um nutricionista especializado em vegetarianismo, só o que fiz foi pesquisar, pesquisar e pesquisar um pouco mais, por conta própria. No meu caso, deu tudo mais do que certo, mas o que recomendo é fazer mesmo um acompanhamento. A Letícia faz e é muito saudável, obrigada.

Foto: eu, Suzie e Letícia no barrigão de oito meses.

PS: Este post também foi publicado no site http://blogvidaverde.blogspot.com

7 comentários:

  1. Nossa, que delicia de blog!!! Amei! Vou acompanhar sempre ;) Beijinhos! Marilia, mãe da Helena (3 meses)

    ResponderExcluir
  2. Até que fiquei surpresa com a receptividade de alguns médicos ao vegetarianismo. Fiz acompanhamento durante toda a gestação com uma nutricionista que não é especializada no assunto, mas que era muito bem informada e me deixou super tranquila. Também não tive anemia. Bendito suco de couve com limão! Ah, e agora que minha filha nasceu, o pediatra também não manifestou nenhuma objeção quanto à minha dieta. Felizmente ainda existem pessoas esclarecidas por aí, né?

    ResponderExcluir
  3. Muito legal! Adorei!!!
    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  4. Muito legal seu blog!
    Tb sou veg e meus filhos tb. Qd encontramos o caminho, nao nos resta mais opções, concorda?
    Tenho uns textos que vc deve gostar "Filhos vegetarianos" e umas outras ironias sobre carnivorismo irracional. Se quiser, da um pulinho la p me conhecer www.outralogica.blogspot.com, www.amaezona.blogspot.com e www.partolandia.blogspot.com

    Um grande abraço e parabens pela perseverança. Vou te acompanhar!

    ResponderExcluir
  5. Descobri a uma semana que estou grávida, sou vegetariana a mais de quatro anos, porém já estou escutando de um monte de gente que tenho que comer carne...
    Só espero ter a mesma sorte que vocês e ser acompanhada por um bom médico.

    Sigo esse blog a um tempo já, sempre gostei dos posts, mesmo não sendo (na época) mãe!

    Parabéns!

    Beijos, Fernanda.

    ResponderExcluir
  6. Parabéns!
    Eu sou vegana faz 9 anos, e tbem continuei assim na minha gravidez.. não tive enjôo, mal estar, nadinha.. e minha filha nasceu com 3.415kg!!

    ResponderExcluir
  7. Eu tenho 32 anos, estou grávida de 5 meses e...fui um feto vegetariano!! Meus pais pararam de comer carne bem antes de minha mãe engravidar, e se manteve assim durante toda a gestação, fui criada sem comer nada de origem animal e, bem, acho que isso não me trouxe nenhum problema de saúde :)

    Ao contrário, tanto eu como meus irmãos (todos gestados e criados como vegetarianos) somos bem saudáveis. Na verdade, aos 20 anos por pura rebeldia resolvi introduzir frango e peixe na minha dieta e aí sim adoeci :) Meu irmão (hoje com 28 anos) nunca comeu nada que signifique morte de animal na vida e é, de longe, o mais saudável de todos.

    Enfim, acho que sou o exemplo vivo de que não existe bobagem maior do que essa de que precisamos matar animais para viver!

    ResponderExcluir